22/05/07

Antônio Gomes e "O Amor Divino"

pintura de Vicente López Portaña (1805)

Antônio Gomes da Silva nasceu no Ceará em 30 de abril de 1885. Lá casou-se com sua esposa Maria de Nazaré, e mudou-se para o Pará. Em 1921 veio com toda a família trabalhar nos seringais do Acre, e enviuvou ficando com cinco filhos para criar sozinho. Em segundas núpcias, com Maria Gomes, teve mais quatro filhos. Conheceu a Doutrina do Daime no ano de 1938, e ao falecer em 1946 legou à irmandade o seu caderno de hinário, intitulado "O Amor Divino", composto de 39 hinos. Um outro hino seu, "Senhor Amado", que não faz parte de seu caderno, é o que abre o Caderno de Missa, copilação de hinos feita pelo Mestre para rituais de velório e homenagens a irmãos desencarnados.

Segundo Jairo Carioca, No Acre, embarcações haviam trazido famílias inteiras de nordestinos que fugiam da seca em busca de uma melhor vida na região. "Numa dessas embarcações, relatou dona Zulmira Gomes, papai nos trouxe para cá. Sofremos muito na viagem de navio até aqui, mas chegamos com fé em Deus. Aqui, com uns tempos, papai estava muito doente, sentia uma perturbação no juízo muito forte e eu já estava cansada de tanto correr para aqui e para acolá atrás de uma cura para ele. Compadre Zé das Neves me perguntou se eu não conhecia a sessão de um negro alto que curava na Vila Ivonete. Disse que não. Ele insistiu até que me convenceu a ir até lá. Me apresentei ao Mestre, ele olhou o estado de papai e marcou para a próxima quarta-feira o início do trabalho de cura para ele. Mais ele já saiu de lá melhor (sorriu) e com três sessões de cura ele ficou bonzinho. Aí ele foi e disse que nunca mais abandonaria aquele trabalho", relatou dona Zulmira Gomes. (...) Ela relatava o fim do primeiro ciclo de formação da doutrina. O Mestre Irineu, que já dava os primeiros passos na institucionalização de seus trabalhos, contava com um considerado grupo de seguidores. Da nova família, além de Antônio Gomes da Silva, o patriarca, os seus filhos Leôncio Gomes, Raimundo Gomes, Adália Gomes, José Gomes e dona Zulmira Gomes também passaram a freqüentar a sessão. Dona Zulmira, casada com o senhor Sebastião Gonçalves, levou à missão seus filhos Raimundo Gonçalves, João Gomes, Benedita Gomes, Eloísa Gomes e Peregrina Gomes. Essa família fortificava a edificação da doutrina, como o próprio Antônio Gomes, que passou a receber um rico e instrutivo hinário, onde relata: "O Mestre trabalhava, se achava quase sozinho, pediu a Jesus Cristo que abrisse o seu caminho".

É no hinário de Antônio Gomes que surge pela primeira vez o nome de "Juramidam", identificado como o nome do Mestre no plano astral. Leia sobre como Mestre Irineu recebeu o hino "Só eu cantei na barra", dedicado a Antônio Gomes, em crônica de Juarez Bomfim. Após o falecimento desse seu querido seguidor, o Mestre se encarregou de sua família a seu pedido, e foram os Gomes um dos pilares centrais de seu centro. Um depoimento de Peregrina Gomes Serra, neta de Antônio Gomes e última esposa do Mestre Irineu, feito em 2006, pode ser conhecido no site Mestre Irineu.

A gravação que disponibilizamos foi realizada por outro neto de Antônio Gomes, Valsírio Granjeiro, filho de Adália Gomes. Inclui o hino 5, "Declaração", que sendo uma mazurca por muito tempo esteve excluído dos trabalhos por considerar-se hino de cura, portanto especial. Mestre Irineu, no final de sua vida, revisou os hinários de seus principais discípulos falecidos anteriormente: Germano Guilherme, Antônio Gomes, João Pereira e Maria Marques Vieira, e ordenou que este hino 5 fosse bailado normalmente. Sua instrução entretanto não foi colocada em prática, muito pelo hábito que as cantoras tinham de deixá-lo de fora. Seu retorno aos salões de bailado tem sido defendido por Dona Adália Gomes com veemência, por isso aparece aqui incluído em seu devido lugar.

Obtenha a letra dos hinos clicando aqui. Extraia o download dos arquivos de áudio (formato wma) em:

Um comentário:

Anônimo disse...

Saudações, parabens pela iniciativa de divulgar os hinários,esta lindo, mas o hino nº8 do Antonio Gomes foi gravado no ritmo de valsa, porem o correto é marcha.
Voces poderiam revisar e postar para nosso acesso.
obrigado.