12/07/2007

A "Oração do Padrinho" em estúdio

Oração "campal" em frente da igreja da Cinco Mil no final dos anos 70,
quando uma reportagem da Revista Manchete registrou pela primeira vez,
e em cores, a existência da Doutrina do Santo Daime no Acre.

CHAVE DE HARMONIA

Desejo Harmonia, Amor,Verdade e Justiça a todos os meus irmãos.
Com a força reunida das silenciosas vibrações de nossos pensamentos
somos fortes, sadios e felizes,
formando assim um elo de Fraternidade Universal.
Estou satisfeito e em Paz com o Universo inteiro
e desejo que todos os seres realizem suas aspirações mais íntimas.
Dou graças ao Pai Invisível
por ter estabelecido a Harmonia, o Amor, a Verdade e a Justiça
entre todos os seus filhos.
Assim seja.

Esta oração do Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento, fundado na cidade de São Paulo em 1909, faz parte das instruções dessa instituição como egrégora a ser mentalizada e proferida todos os dias às seis horas da tarde. Segundo depoimento de André Costa a Clodomir Monteiro, já nos anos 10 o Círculo de Regeneração e Fé - C.R.F. - criado na vila de Brazylia - Acre (hoje municípios de Brasiléia e Assis Brasil), por Irineu Serra conjuntamente com ele e seu irmão Antônio Costa (todos maranhenses), possuía vínculo com a instituição paulista. Após a extinção do C.R.F. em 1921, o vínculo foi extinto, até ser retomado pelo Mestre por alguns anos, entre as décadas de 50 e 60, motivo do centro ter recebido o nome na época de "Centro de Irradiação Mental Luz Divina". Falecido, entretanto, o presidente-fundador do Círculo Esotérico, conhecido como A.O.R. , sua substituta não aceitou o uso do Daime nas sessões de concentração no Acre, e assim o Mestre Irineu declarou que onde o Daime não era aceito ele também não estaria mais presente. Manteve-se, entretanto, o respeito e consideração aos fundamentos do trabalho esotérico do Círculo.

Sebastião Mota de Melo, fundador do Cefluris, assim como o Mestre também filiou-se ao Círculo Esotérico enquanto membro do centro do Alto Santo, e mesmo após a desvinculação manteve seu diploma emoldurado numa parede de sua casa. Um hino do Mestre Irineu, que dizia: "Seis horas da tarde / o sol vai se por / eu devo cantar / a meu Pai Salvador", o incentivou a ter na sua residência a prática de todos os dias na hora do entardecer (que ele marcava não pelo relógio mas pelo pio da nambu, ave amazônica que canta sempre a essa hora) rezar a Chave de Harmonia e cantar alguns hinos. Em depoimento no site da Flor do Céu, o Padrinho Sebastião comenta como eram suas palestras com o Mestre nesse tempo quanto tinha ocasião de estar com ele no Alto Santo:

Eu cantava os hinos que recebia para ele e ás vezes contava também com mais detalhes a miração que tinha dado origem ao hino. E ele confirmava tudo. É preciso ter calma. E todo mundo pisar bem de mansinho. Não se orgulhar dentro daquele salão. Que tem hora que tudo brilha e a gente quer se achar mais bonito que o outro que está lá passando baixo... Cuidado, matéria orgulhosa, que logo tu vai estar lá sentado no banco, se não estiver estirada no chão!

O Mestre dizia que o povo ainda ia chegar, que eu me preparasse. Depois que ele passou, o espírito veio me entregar o resto. Que era para eu não temer nada. Sobre questão disso e daquilo lá de fora, que eu não temesse coisa nenhuma e levasse em frente. Que o Daime ia guiar tudinho. Para ir tirando o povo de Juramidã, tirando do meio da cidade e colocando na floresta, que é o paraíso.

Nas horas dos desdobramentos a gente pode compreender muitas coisas boas. Mas tem que ter uma fé muito forte. Não uma fé assim sem saber em quem. Mas é fé de verdade, em quem está presente nessa bebida, em quem está invocando ela, que é Juramidã. E em todos os seres da Corte Celestial, como os da terra, da floresta e do mar e ainda alguns que vivem debaixo da terra. Pois eu andei debaixo da terra e é tudo claro como aqui em cima. Vocês não se admirem de nada, porque o Eu-Superior é tudo e anda por todo canto. E se eu estou com ele, me dá licença também de eu andar por onde ele quiser. Tem hora que tem alarme falso, para ver se estamos caçando um motivo para correr da fila. Quando a força balança, a primeira coisa que se deve fazer é ficar firme e segurar o ponto. Se não tem jeito de ficar em pé, senta; se não der para ficar sentado, deita. Se não der tempo para escolher nada disso, cai! O que importa é a gente receber o que o Ser tem para nos dar nessa hora. No meu aprendizado, eu algumas vezes fui ao barro, e dou graças a Deus pelas minhas quedas, porque saí bem aprendido com elas. E quem ficou só olhando para mim e achando graça, esse, coitado, não aprendeu nada!

Diploma de Raimundo Irineu Serra no Círculo Esotérico

Com a criação do Cefluris em 1974 e a construção da igreja, o Padrinho Sebastião começou a formar um caderno de hinos seus para essa oração diária das seis horas da tarde, concluído por volta de 1978 com doze hinos. Até 1990, quando veio a falecer, a oração encerrava-se com o hino "Eu não sou Deus", por esse motivo cantado em pé. Com a entrada de seu filho Alfredo no comando geral, acrescentou-se um hino deste, e se estabeleceu que o segundo hino da oração também seria cantado em pé, como uma invocação solene. Padrinho Waldete, no Mapiá, tem reforçado sempre que a Oração não se canta no ritmo de baile, mas sim num ritmo mais marcado, com as palavras mais bem pronunciadas. Só eventualmente, como num dia de domingo, junto ao ensaio de outros hinos, é que a Oração é bailada, mas nesse caso excetua-se o segundo hino, que é cantado em posição de guarda.

A pedido do meu amigo Velocino Fernandes, de Santana do Livramento, na fronteira Brasil - Uruguai, adianto neste blog a chamada "Oração do Padrinho", aqui em gravação de estúdio com o próprio Padrinho Alfredo Gregório. Extraia o download das mp3 no site União Estrela Guia, incluindo-se aí os arquivos de letras e cifras musicais, clicando em:


Agradecimentos ao irmão Padre Jaime Wanner, que nos enviou este e muitos outros bons arquivos a serem futuramente publicados neste nosso blog. A união faz a força!

6 comentários:

Luiz Henrique disse...

Olá Eduardo

Gostaria de parabeniza-lo de coração por este lindo e maravilhoso Blog. Sinto que ele é feito com muito amor.
Você está perstando um serviço inestimável para a comunidade Daimista interessada em se aprofundar na história e na música da nossa Doutrina.

Um Grande e Caloroso Abraço,

Luiz Henrique,

do Céu da Lua Cheia.

Luiz Henrique disse...

Olá Eduardo

Gostaria de parabeniza-lo de coração por este lindo e maravilhoso Blog. Sinto que ele é feito com muito amor.
Você está perstando um serviço inestimável para a comunidade Daimista interessada em se aprofundar na história e na música da nossa Doutrina.

Um Grande e Caloroso Abraço,

Luiz Henrique,

do Céu da Lua Cheia.

Eduardo Bayer Neto disse...

obrigado, Henrique: um abração aí

guarilha seu corretor na ilha disse...

Gostei muito desse blogger, muitas informações importantes de nossa doutrina e gostaria também de deixar um abraço a essa comunidade de irmãos.
Luiz C.Guarilha
Florianópolis,
Céu do Patriarca

Anônimo disse...

Obrigado pelo trabalho de fazer esse blog, que já tanto li e ouvi! :D

Deixo aqui um aviso que o áudio da Oração está fora do ar.

Abraços,

Rafael.

Esperanto Vestoj disse...

=( sumiu.